Oxandrolona (anavar)

Tagged: ,

Muitas pessoas fazem perguntas sobre este esteróide. É bom para as mulheres? Queima gordura? Não causa problemas de saúde? Existe alguma marca de confiança?
Mais uma vez vou tentar esclarecer os mitos que rondam a oxandrolona, um dos anabolizantes mais procurados.

Este anabolizante foi desenvolvido em 1964, pelo laboratório Searle, nos Estados Unidos. Foi comercializado pelo nome de Anavar.

O objetivo do laboratório era criar um esteróide que pudesse ser utilizado por crianças com problemas de anemia, daí a fama de ser um anabolizante seguro. A oxandrolona não aromatiza, e promove um ganho anabólico moderado, para os padrões dos culturistas. Pode ser utilizada com segurança por mulheres, já que também não promove virilização, e durante algum tempo era muito comum que se receitasse para tratamento de Osteoporose em mulheres mais idosas. Infelizmente, toda a repercussão negativa e desinformada dos mídia acabou por fazer com que os médicos voltassem atrás nas indicações do medicamento, ainda que tenha se provado ser de grande eficiência.

No início dos anos 80, com as vendas da oxandrolona a cair, o laboratório Searle, detentor da patente, decidiu suspender o fabrico e em 1989 o último lote foi colocado no mercado. Portanto se aparecer algum vendedor “amigo”, com Anavar ou Lipidex de farmacia voce já sabe que é falso.

Recentemente um laboratório americano, o BTG, voltou a fabricar a oxandrolona, sob o nome de Oxandrin. O BTG comprou os direitos do Searle, e vende a medicação para pacientes com AIDS, que precisam diminuir a perda de massa muscular.

Muitos utilizadores dizem ter óptimos ganhos de força, coisa incomum em esteróides de baixa acção androgênica, e hoje em dia já é muito comum que powerlifters incluam a oxandrolona nos seus ciclos. Isso ocorre porque a oxandrolona não causa aumento de força pelas vias androgênicas, mas pela capacidade de repor ATP (adenosina trifosfato). Isso causa um enorme estímulo na performance anaeróbica, o tipo necessário para atividades de explosão e curta duração, como o treino com pesos.

No caso dos culturistas, normalmente é mais utilizada em ciclos que visam qualidade muscular, quando existe a preocupação com a retenção de líquidos. As dosagens para homens ficam entre 15 e 100 mg por dia, em conjunto com outros anabolizantes de características mais anabólicas do que androgênicas. Algumas drogas, em especial, costumam funcionar excepcionalmente bem com a oxandrolona, são elas a fluoximesterona, mesterolona e a trenbolona.

Mulheres podem fazer uso da oxandrolona com razoável segurança, já que as chances dos problemas relacionados aos efeitos masculinizantes dos esteróides serão praticamente inexistentes. Dosagens situam-se entre 5 e 25 mg, e costumam ter os ciclos combinados com nandrolona ou metenolona.

Quando utilizada em doses consideradas moderadas, essa substância não interfere com a produção natural de testosterona. Já em dosagens acima de 30 mg o risco é grande, e pode haver uma paragem no fabrico da hormônia masculino.

A oxandrolona, assim como outros esteróides orais, é hepatóxica, mas são raros os casos de lesões ao fígado, mesmo em doses consideradas de risco. Um estudo realizado pelo laboratório BTG mostrou que, mesmo sendo alquilada na posição C-17 (a alteração química que torna os esteróides orais perigosos), a oxandrolona não costuma causar alteração das taxas hepáticas. Mas o risco existe.

Existe a fama de que “queima gordura”, o que é mais um mito. Assim como o stanozolol, isso não ocorre. O que acontece é que por não causar aromatização, também não acontece retenção de líquidos, factor responsável pelo aspecto inchado do utilizador. Mas a oxandrolona pode diminuir consideravelmente o apetite, o que é mais uma razão para a opção do uso em ciclos de qualidade, e não de aumento de volume muscular, quando o atleta necessita de dietas hipercalóricas. Quando o objetivo é somente a definição muscular, a combinação com 120 a 150 mcg de clembuterol produzirá optimos resultados, reduzindo o percentual de gordura e mantendo a massa magra adquirida.

Muitos culturistas preferem o uso nos intervalos entre ciclos, acreditando que já que não há interferência no balança hormonal, seria uma boa opção na tentativa de manter os ganhos adquiridos. É um erro. O utilizador de esteróides, após o ciclo, já encontra-se com seus mecanismos de produção hormonal alterados, e a introdução de mais uma opção de anabolizante, ainda que seguro nesse aspecto, vai retardar ainda mais o restabelecimento das funções hormonais.

2 Comments

  1. Ribeiro

    Boas, gosto bastante do site, completo e bastante informativo…….em relação a este artigo sobre Oxandrolona (anavar), fazendo um ciclo com clembuterol quais seriam as doses a aplicar bem como o tempo de ciclo (semanas). Agradecia a ajuda, obrigado.

    Reply

  2. Ilda Luisa Oliveira Aju

    Tenho muitas dificuldades em emagreçer…ja tomei várias coisas, e a longo prazo ate perco uns ks, mas logo rapidamente ganho e ate mais, d que perdi, para quem tinha 56, a 58 0 maximo e agora vejo me com 70, tornou se um complexo dificil se superar…falaram me deste medicamento e eu queria saber todos os permenores seguros sobre o mesmo…agradeçia logo que possivel me informassem, obrg

    Reply

Deixe uma Resposta